A parábola da caixinha

O texto a seguir foi-me enviado por um irmão da Congregação do Jardim das Oliveiras. Lembrei-me imediatamente do ensino de Salomão, em Provérbios 27.23: “Procura conhecer o estado das tuas ovelhas e cuida dos teus rebanhos”.

Um homem pediu a um sábio, que o ajudasse a melhorar sua granja, que tinha baixo rendimento. O sábio escreveu algo em um pedaço de papel e colocou em uma caixa, fechou e entregou ao granjeiro, dizendo:

— Leva esta caixa por todos os lados de sua granja, três vezes ao dia, durante um ano.

Assim fez o granjeiro.

Pela manhã, ao ir ao campo segurando a caixa, encontrou um empregado dormindo, quando deveria estar trabalhando. Acordou-o e chamou sua atenção. Ao meio dia, quando foi ao estábulo, encontrou o gado sujo e os cavalos sem alimentar. E à noite, indo à cozinha com a caixa, deu-se conta de que o cozinheiro estava desperdiçando os gêneros. A partir daí, todos os dias ao percorrer sua granja, de um lado para outro, com seu amuleto, encontrava coisas que deveriam ser corrigidas.

Ao final do ano, voltou a encontrar o sábio e lhe disse:

— Deixa esta caixa comigo por mais um ano; minha granja melhorou o rendimento desde que estou com o amuleto.

O sábio riu e, abrindo a caixa, disse:

— Podes ter este amuleto pelo resto da sua vida.

No papel constava a seguinte frase: “Se queres que as coisas melhorem, deves acompanhá-las constantemente”.

Pastoral publicada no Boletim 100, de 27/11/2011. Rev. Misael.

Categorias: Pastorais, Web Site

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *