Ajuntar, concordar e orar

A oração nunca deixou de ser uma função importante da casa de Deus. Em Marcos 11.17, entrando no templo, Jesus expulsou dali os vendedores e “também os ensinava e dizia: Não está escrito: A minha casa será chamada de casa de oração para todas as nações?” Jesus ensinando mostrou que a sua casa não é casa de comércio. Mas sim o lugar onde são oferecidas orações para que a benção e a graça de Deus alcancem todas as nações.

Jesus havia ensinado a importância de entrar num lugar onde podemos estar a sós para ter comunhão com Deus, “entra no teu quarto”. Isto é importante. A prática da oração precisa começar desta maneira. Mas precisa levar-nos à oração da casa do Senhor; quando dois ou três concordam a respeito de alguma coisa, a promessa é que será concedida pelo Pai (Mt 18.19). O trabalho da oração não é somente para alguns, mas é função de todo filho na casa do Pai, de todo membro do corpo de Cristo.

Nos Evangelhos encontramos várias vezes esta promessa: “Por isso, vos digo que tudo quanto em oração pedirdes, crede que recebestes, e será assim convosco” (Mc 11.24). Notemos, porém, que esta promessa não foi dada a um indivíduo isolado, mas aos discípulos. A promessa não é para um e sim para dois ou mais que concordarem em oração. O propósito do Senhor é que ocorra rotineiramente o ajuntamento do seu povo e estejam inteiramente unidos, concordando e harmonizando em oração. Não apenas orações individuais, mas orações coletivas. E a promessa é que “tudo quanto pedirdes em oração, crendo, recebereis” (Mt 21.22).

Observando a igreja primitiva no livro de Atos vemos todos perseverando unânimes em oração (At 1.14; 2.42,44; 4.24). O princípio estabelecido para o povo de Deus é de que estejam juntos em um local, inteiramente unidos, concordando em harmonia e falando a mesma coisa em perseverante oração.

No dia de Pentecostes “estavam todos reunidos no mesmo lugar”, em concordância, inteiramente unidos e a resposta da oração trouxe o enchimento do Espírito Santo a todos e as grandezas de Deus alcançaram pessoas “de todas as nações debaixo do céu”.

Ajuntemo-nos confiadamente em Deus e sua Palavra, como uma comunidade de pessoas que oram em comum acordo as promessas do evangelho para que o reino de Deus alcance todos os povos.

Pr. Gilberto.

Categorias: PastoraisTags: ,