Planejamento

O Conselho da IPB Rio Preto reuniu-se de 2011 a 2013 a fim de refletir sobre a vida da igreja. Isso foi feito na presença de Deus, baseando-se nas Escrituras e com oração. Em todo o tempo, trabalhamos em torno do ideal de serviço de nossa igreja:

Sermos uma família de discípulos de Jesus, fundamentada na Bíblia, comprometida com a Reforma, que proclama as boas-novas da salvação, atua na restauração de pessoas e coopera na edificação do Reino de Deus.

Legendas

Completado. Realizado
Pendente. Realizado parcialmente
Ação contínua
plan2014_01

Princípios

Como família de Deus, assumimos que nosso foco é prioritariamente relacional e não empresarial. Sendo assim:

  • Na IPB Rio Preto cada pessoa é importante, ou seja, pessoas estão acima de tarefas.
  • Toda interação é pessoal (não lidar com pessoas como peças de uma máquina ou figuras impessoais em uma instituição; interagir com amor e para edificação).
  • A estrutura existe para as pessoas.
  • Os processos são tão (ou mais) importantes do que os resultados (o importante não é tanto alcançar alvos, mas caminhar de forma santa enquanto trabalhamos uns com os outros).
  • Competências são consideradas dentro da moldura bíblica (Rm 12.7; Fp 2.1-5); portanto, Toda avaliação é graciosa.
  • Como família, respeitar a diversidade de gerações.

Rotinas

  • Cultuar juntos.
  • Aprender uns com os outros.
  • Trabalhar e divertir-se conjuntamente.
  • Interagir além dos cultos dominicais.

Dito de outro modo, viver o amor (Rm 12.10; 1Jo 4.12). Ajudar uns dos outros 
(At 4.34; Tg 2.14-17). Sentir ternura e carinho uns pelos outros (1Pe 1.21; 5.14). Desejar estar juntos 
(Sl 16.3; At 2.44; Fp 1.27).

Alvos pertinentes à igreja como família

Alvo 1: O Conselho deve visitar as famílias da igreja.

Visitação dos membros pelo Conselho

Atualização do sistema da igreja (rol de membros)
Visitas do Conselho

Alvo 2: A igreja participa de um acampamento anual.

Acampamento de toda a igreja

Implementado desde 2013

Alvo 3: Envolver diáconos na assistência aos necessitados.

Assistência diaconal dos necessitados

Regimento aprovado
Reuniões retomadas
Atendimento

Alvo 4: Conscientizar sobre igreja como família.

Conscientização da igreja como família

Aulas sermões etc. (Processo contínuo)

Alvo 5: Reorganizar grupos familiares.

Grupos familiares

Manual e treinamento
Multiplicação

Alvo 6: Ligar para os aniversariantes.

Contato aniversariantes

Alterado em 2014 p/ culto aos sábados

Alvo 7: Aperfeiçoar o culto.

Culto em espírito e em verdade

Curso adoração
Pregação fiel
Suporte música agenda
Novos músicos
Frequência

Alvos pertinentes ao discipulado

Alvo 8: Cada presbítero um discipulador.

Presbíteros discipuladores

Aquisição material discipulado
Treinamento Conferência 2011
Produção material treinamento 2014
Treinamento 2015

Alvo 9: Novo currículo ED/Capacitação professores.

Currículo ED

Currículo definido com coordenadores
Treinar professores de adultos

Alvo 10: Realizar eventos de edificação.

Conferências edificantes

Conf. Avivamento e Missões Urbanas (2011)
Conferência Missionária (2011-2014)
Encontro da Fé Reformada (2011-2014)

Alvo 11: Criar curso periódico.

Curso Bíblia (CTP)

CTP (estrutura pronta; aguardando retomada; 2011-2013)
Planejamento 2

Nesta reunião refletimos em nosso compromisso com a Reforma e a tarefa de evangelização. Aprendemos mais sobre nossa identidade bíblica e confessional e o mandato de sermos testemunhas do evangelho, contribuindo com a proclamação das boas novas em nossa cidade e no mundo.

Princípios quanto à Reforma

  • Compreendemos a Reforma do século 16.
  • Compreendemos e acolhemos o calvinismo.
  • Pra nós a Bíblia é suficiente. Alinhamos tudo — vida, culto, gestão e ministério — à Palavra de Deus.
  • Divulgamos a sã doutrina; somos ortodoxos e frutíferos.
  • A fé reformada nos fornece uma moldura. Trabalhamos para que todas as atividades da igreja (sede e congregações) sejam consistentes com a fé bíblica-reformada. Nos esforçamos para que nossas atividades reflitam ortodoxia e produzam frutos consistentes com o nosso ideal de serviço.

Princípios quanto à evangelização

  • Buscar avivamento bíblico e pregar expositivamente.
  • Treinar para a apologética e evangelização.
  • Desenvolver uma cultura evangelística (projetos e departamentos).
  • Dar atenção aos visitantes.
  • Conectar-se à cultura:
    • Apoiar iniciativas criativas e norteadas pela Bíblia.
    • Participar de eventos da cidade.
    • Explorar a boa comunicação e utilizar mídias disponíveis.
    • Explorar a boa comunicação e utilizar mídias disponíveis. (Elaborar e gerenciar os sites da igreja, Curso Teológico Presbiteriano, Encontro da Fé Reformada e Conferência Missionária. Disponibilizar os sermões na igreja na Web).
  • Motivar nossas congregações.
    • Motivar com presença.
    • Suprir para organização rápida.
  • Plantar novas igrejas.
    • Incentivar expansão regional.
    • Incentivar expansão em Rio Preto.

Alvo 12: Criar curso de apologética.

Curso de apologética

Realizado (2013 CTP)
Nova turma (2015)

Alvo 13: Treinar para evangelismo.

Treinamento evangelismo

Aquisição material discipulado
Treinamento Conferência 2011
Produção material treinamento 2014
Treinamento 2015

Alvo 14: Assumir projeto de evangelização.

Projeto de evangelização

Projeto elaborado por Luiz Felipe e Ivan Daniel
Implementado parcialmente em 2012 por UMP
Revisar projeto

Alvo 15: Motivar e capacitar recepcionistas.

Aperfeiçoamento recepção

Preparar kit do visitante
Agregar voluntários
Desenvolver sistema para cadastro de visitantes

Alvo 16: Criar e gerenciar novos sites da igreja.

Criar novos sites

Site da igreja
Site do CTP
Site da Conferência Missionária
Site do EFR

Alvo 17: Avaliar congregações.

Avaliar congregações

Levantar situação congregações em 2011
Avaliar congregações em fevereiro e setembro de 2012
Planejamento 03

Esta reunião focalizou a organização das congregações em igrejas. Baseados em João 4.35; Lucas 10.10-11 e Atos 13.44-47, assumimos o alvo de testemunhar ao máximo de pessoas possível estabelecendo igrejas nos campos maduros.

A partir dos custos atuais de manutenção dos trabalhos e de dados demográficos, enntendemos que, para organização de uma igreja sem custos de aluguel, cada congregação deve atingir uma arrecadação de R$ 10.500,00, com membresia em torno de 205 membros.

Alvo 18: Organizar congregações em igrejas.

Organização de igrejas

Organizar congregações em igrejas 02/2012 a 12/2013
Unificadas em 03/09/2012; organização prevista para 2014
Reafirmação de definição de organização em 21/07/2013
Planejamento 04

Sobre restauração de pessoas. Demos atenção à penúltima afirmação de nosso ideal de serviço, que afirma que desejamos ser uma igreja que “atua na restauração de pessoas”. Ao fim daquela reunião:

  1. Definimos o que entendemos por “restauração”.
  2. Definimos a abrangência do termo.
  3. Definimos alguns passos para aplicação desta parte de nosso ideal de serviço.

Princípios

Entendemos que restauração de pessoas é toda iniciativa de investimento de tempo, energia e recursos na libertação e santificação de indivíduos ou famílias que vêm até nós ou já participam de nossa igreja.

Isso significa que restauração ocorre nos âmbitos da evangelização, convívio familiar e relação do crente com a igreja e desta com os seus frequentadores. Envolve ajudar as pessoas nas questões relativas a seu relacionamento com Deus, comunhão com seu próximo, disfunções emocionais e vícios.

Precisam de restauração os não-crentes, em termos de restabelecimento de sua comunhão com Deus por meio de Cristo (regeneração e conversão), e os crentes, em termos de desfrute da pessoa e obra do Senhor Jesus Cristo (santificação — 2Co 5.17; 1Pe 1.23; 1Jo 1.9-10; Os 6.3).

Sendo assim, restauração é parte do discipulado, ligada à exortação e disciplina, trata do abandono de padrões pecaminosos (mortificação do pecado) e absorção do padrão de Cristo (Rm 8.1-17, 28-30; 2Co 3.17-18). Isso deve começar em nós (1Tm 4.16). Deus é seu principal agente, e nós somos objetos de sua ação, bem como seus proclamadores e cooperadores.

Os meios primordiais da restauração são a Palavra de Deus e a oração, ministradas no contexto da comunhão cristã. Daí ela ocorrer nos cultos públicos, nas reuniões de oração, nos grupos de igreja nos lares, nas iniciativas de educação cristã, nas visitas aos lares e trabalhos de capelania em hospitais, no discipulado pessoal, por meio dos projetos realizados e serviços prestados na Associação Evangélica Lar de Betânia (ASELB), por meio do DisquePaz e, especialmente, na prática do aconselhamento bíblico.

Para aperfeiçoar e expandir nossos serviços ligados à restauração de pessoas, são necessárias quatro coisas:

  1. O cultivo de uma cultura de restauração e mutualidade, para que sejamos uma igreja de oportunidade, atenta às necessidades de nossos membros, frequentadores e vizinhança.
  2. Mais grupos de igreja nos lares nos quais seja possível o compartilhamento de problemas e encaminhamento de ajuda para restauração efetiva.
  3. A dedicação voluntária de dons e talentos para a restauração, especialmente pessoas com formação pertinente para aconselhar e ajudar pessoas com problemas.
  4. Aprimoramento do aconselhamento pastoral.

Alvo 19: Dinamizar capelania.

Serviços de capelania

Iniciada na Santa Casa

Alvo 20: Doutrinar a igreja quanto aos dons e ministérios.

Doutrinar sobre dons e ministérios

Doutrinação iniciada na ED 2013 (Cristão Frutífero)
Escrever material (2015)
Retomar doutrinação (2016)

Alvo 21: Estruturar serviços de cura.

Serviços de cura

Divulgar decisões
Motivar voluntários
Supervisionar iniciativas

Alvo 22: Aprimorar aconselhamento.

Aconselhamento bíblico

Atualizar biblioteca e leituras
Capacitar equipe pastoral
Capacitar membros da igreja

A nova tônica do ministério da IPB Rio Preto

Em fevereiro de 2013 foi apresentada à igreja a nova tônica de sua caminhada ministerial: Prosseguir como uma igreja viva e simples. Os detalhamentos desta proposição serão fornecidos ao longo do mandato do pastor-efetivo atual, de 2013 a 2016.

Perguntas importantes para 2013-2016

Cada departamento deve trabalhar em 2013-2016 buscando responder — e organizando-se a partir das respostas obtidas — as seguintes perguntas:

  • Questões relativas à IPB Rio Preto como família:
    • O que podemos e devemos fazer para aprofundar nossa comunhão, de modo a interagirmos uns com os outros, como uma família?
    • Como podemos conviver — passar mais tempo como família — com as pessoas de outros departamentos da igreja?
    • Como podemos contribuir com os outros departamentos da igreja?
    • O que é necessário para visitar e integrar cada sócio, integrante e frequentador de nossa sociedade interna ou departamento?
  • Questões relativas ao discipulado da IPB Rio Preto:
    • O que podemos e devemos fazer para obedecer a ordem de Jesus de fazer discípulos, com todas as implicações de integrá-los à igreja e ajudá-los a aprender e praticar os ensinos do Redentor?
    • Quais são os tópicos bíblicos e doutrinários que precisam ser conhecidos e trabalhados em nossa sociedade ou departamento, em 2013-2016?
    • O que é necessário para fazer cada integrante, sócio e frequentador um discípulo fervoroso do Senhor Jesus Cristo?
    • O que pretendemos fazer quanto à oração, em 2013-2016?
  • Questões relativas ao perfil reformado da IPB Rio Preto:
    • O que podemos e devemos fazer para consolidar nossa identidade cristã, calvinista, reformada e presbiteriana?
    • O que podemos e devemos fazer para estender esta identidade aos nossos concílios e região?
  • Questões relativas à evangelização da IPB Rio Preto:
    • O que é necessário para fazer funcionar as secretarias de evangelização de cada sociedade interna?
    • O que é necessário para motivar cada crente para a prática da evangelização?
    • Que iniciativas de evangelização interna devemos realizar em 2013-2016?
    • Como podemos contribuir com o início de novos trabalhos e frentes de evangelização em 2013-2016?

Ações desejáveis para 2013-2016

As seguintes ações simples facilitarão a condução do trabalho condizente com as questões acima:

  1. Menos ativismo e mais aprofundamento na comunhão com Deus e uns com os outros.
  2. Enxugar a agenda; focalizando em simplicidade, sem perder o contato periódico vital para a manutenção da comunhão.
  3. Realizar atividades conjuntas — dois ou mais departamentos. Isso possibilita que as pessoas de diferentes departamentos aprendam umas com as outras.

3 comentários

  1. disse:

    Muito Bom!
    Rev. ouvir esse sermão em Romanos 9 abriu um leque para respostas as discussões em volta desse texto, que surgiram em estudos aqui na igreja. Obrigado pela exposição clara e precisa.
    Que o Eterno abençoe sempre.

  2. disse:

    Muito Bom!!
    Lembramos sempre de Neemias, o quanto ele orou, planejou, trabalhou… e mesmo com os empecilhos do caminho ele teve a vitoria na reconstrução do templo, aprendemos que primeiro pas­sa pela aprovação do Senhor, para depois, termos sucesso em nosso planejamento.
    Fico feliz em saber que a Igreja é bem administrada.
    Sigamos firme no Senhor.

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *