Deus é por nós

No Salmo 56.9 lemos uma declaração digna de nota: “No dia em que eu te invocar, baterão em retirada os meus inimigos; bem sei isto: que Deus é por mim”. A confiança de Davi é destacada em um verso anterior: “Em Deus, cuja palavra eu exalto, neste Deus ponho a minha confiança e nada temerei. Que me pode fazer um mortal?” (Salmo 56.4).

Leio tais palavras e penso nas dificuldades cotidianas, nas enfermidades e nos lutos; oportunidades para confiar em Deus e exaltá-lo. Ele não tem nos abandonado, mas estado conosco, ajudando-nos no enfrentamento das tribulações.

É interessante neste Salmo que Deus não impediu Davi de passar pelo sofrimento; ele o socorreu no fundo do poço. Como seguidores de Jesus Cristo, não exigimos tratamento diferenciado: “No mundo, passais por aflições; mas tende bom ânimo; eu venci o mundo” (João 16.33).

As tribulações desanimam. O desejo de todo pastor bíblico é caminhar com um povo cheio de vitalidade, no entanto, o dinamismo contínuo é uma fantasia. A igreja é uma família composta de pessoas sujeitas a intempéries e fraquezas. Ao mesmo tempo em que a comunidade do Novo Testamento era movida pelo poder do Espírito, ela era muito humana, tinha de alternar os ritmos para dar atenção aos feridos. Confirmava-se a prática do amor — os irmãos iam atendendo as necessidades uns dos outros (Atos 4.31-35; Gálatas 6.2). Na verdade este é um dos maiores milagres da graça na vida da igreja: pessoas se arrastando mas orando, contribuindo, trabalhando e adorando. Visito pessoas que não conseguem se levantar buscando forças em Deus e permanecendo firmes dia após dia. São irmãos e irmãs que podem dizer como Davi:

Contaste os meus passos quando sofri perseguições; recolheste as minhas lágrimas no teu odre; não estão elas inscritas no teu livro? (Salmo 56.8).

Isso é maravilhoso. Deus recolhe nossas lágrimas e as registra em seu livro. Realmente, em alguns momentos, não é fácil caminhar, mas a jornada se torna possível graças ao Senhor que atenta cuidadosamente para as nossas angústias e providencia, para cada um de nós, no tempo certo, o livramento.

Rev. Misael. Publicado no Boletim 027.

Categorias: PastoraisTags:

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *