Frutos da conversão: apego à verdade

O cristão convertido é apegado à verdade. Mesmo sendo novo na fé, ele tem o Espírito Santo que o conduz não apenas a aprender ou descobrir, mas a amar a verdade. Não podia ser diferente porque Cristo é a Verdade (João 14.6). A palavra “verdade”, usada no Novo Testamento, é tradução de ἀλήθεια, alētheia, e carrega diversos sentidos edificantes.

Primeiramente, verdade é o que corresponde à realidade, àquilo que é e existe. Verdade é o fato, o que realmente aconteceu. A afirmação “Jesus morreu e ressuscitou” é verdade porque conforma-se a algo que ocorreu historicamente. Verdade é o que se adequa aos dados, o que é sustentado por evidências verificáveis. “Todo aquele que ama é nascido de Deus e conhece a Deus” (1João 4.7) pode ser checado na vida concreta. É nesse sentido que a Bíblia não é apenas verdade religiosa, mas a verdade sobre a realidade. Não há uma só descoberta científica que contrarie aquilo que as Escrituras dizem, quando estas últimas são corretamente interpretadas.

Verdade corresponde a autenticidade. Este é um sentido existencial, psicológico e também moral. É verdadeiro o indivíduo sem camadas ocultas, que é quem diz ser, ou, citando o salmista, “abomina a duplicidade” — rejeita todo fingimento ou hipocrisia (Salmos 119.113). Deus nos conduz à verdade ajudando-nos a repudiar a mentira e sermos honestos uns com os outros (Efésios 4.25).

Em Gálatas 5.7, “verdade” ganha uma cor doutrinária, pois tem correlação com o evangelho. Alinhar-se à verdade equivale a crer e viver a sã doutrina.

Cristo ensinava dizendo “em verdade vos digo” (Mateus 5.48). O culto, para ele, tinha de ser oferecido “em espírito e em verdade” (João 4.23). Para Jesus, “verdade” é aquilo que corresponde às coisas celestiais, ao que existe em Deus e conforme o padrão de Deus. Portanto, o pai da mentira é o Diabo (João 8.44-45).

Você tem dúvidas acerca de sua conversão? Responda: “Você ama a Verdade?” O apego à verdade, em todas as acepções acima, autentica o discipulado.

Rev. Misael. Publicado no Boletim 149, de 04/11/2012.

Categorias: PastoraisTags: , , , , ,

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *