Inteiros, calmos e vivos

Parar. Silenciar as inquietações. Amar e adorar. Foi para isso que Deus nos deu o domingo. Por isso esse dia se chama domingo — a palavra domingo é extraída da tradução latina de Apocalipse 1.10 e quer dizer “dia do Senhor”. Buscar a Deus no domingo, juntamente com nossos irmãos, nos mantém inteiros, calmos e vivos.

Quem pratica natação sabe que os movimentos na água são intercalados com respiração. Inspirar e expirar; a cada conjunto de braçadas e pernadas, colocar o rosto para fora. A boa oxigenação do corpo é vital para um bom desempenho nesta atividade física. Carecemos de pausas a fim de respirar e a boa respiração exige calma. Meu instrutor de natação ajudou-me a entender que minha dificuldade em respirar corretamente provém de minha ansiedade, o que me impede de nadar longas distâncias.

Isso pode parecer conversa de guru, mas é exatamente a experiência de alguns atletas. O boxeador está cercado de luzes e de barulho ensurdecedor; o corpo no limite de sua capacidade e tentando processar a dor proveniente de um último golpe recebido do adversário. Então ele silencia. Por uma fração de segundos, tudo parece parar e em seguida transcorrer em câmera lenta. Ele enxerga o que se passa no ringue e, pela posição ou postura física do oponente, antevê seu próximo movimento. Aí ele bate firme com um cruzado de direita. Calmo e fulminante, ele luta inteiro e vence.

O que nos ajuda a estarmos inteiros em nossos embates? O que nos ajuda a vencer? O que aumenta nosso discernimento, de modo que consigamos antever, alterar nossa posição e lutar com eficácia?

Nós nos reunimos no domingo. Nós paramos um dia na semana para silenciar o tumulto da alma, porque nossa alma precisa ser acalmada (Salmos 42.11). O domingo é um presente divino para nos tornar tranquilos, ou seja, mais crentes, por meio do desfrute de comunhão e de declarações de amor. Isso é a adoração, a experiência em que Deus declara, por meio de sua Palavra, o quanto nos ama, e nós dizemos a ele o quanto o amamos. Assim somos feitos inteiros, calmos e vivos — prontos para a luta semanal.

Rev. Misael. Publicado no Boletim 143, de 23/09/2012.

Categorias: Pastorais

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *