O Deus de toda esperança

Nas últimas semanas, vivemos rodeados de tragédias. Mal soubemos do desastre de Mariana, MG, onde tudo ficou debaixo de lama, assistimos ao ataque terrorista em Paris, deixando muitos mortos e feridos, e o mundo à beira de mais uma guerra. Sem contar temas como aborto e corrupção, entre outros, que sempre geram discussões, acusações e violência. Nosso mundo não vai nada bem. Paulo escreve que “toda a criação, a um só tempo, geme e suporta angústias até agora. E não somente ela, mas também nós, […] gememos em nosso íntimo” (Rm 8.22-23).

Isso decorre do desastre maior, quando Adão e Eva desobedeceram e se afastaram de Deus (Gn 3). O que vemos hoje resulta do distanciamento do Criador e, no sofrimento, Deus chama sua criação para que o veja. C. S. Lewis diz que nós, “sendo maus ouvintes, deixamos de ouvir a voz de Deus. Então ele gira o botão do amplificador por meio do sofrimento. Aí então ouvimos o ribombar de sua voz”. Ouçamos a voz de Deus e nos voltemos para ele em arrependimento e fé.

Nações colidem e entram em colapso, as provações vêm; mas do meio dos escombros, permanece o Deus de toda a esperança.

Pr. Thiago. Publicado no Boletim 308 | 22 de novembro de 2015.

Categorias: PastoraisTags:

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *