Páscoa

Há pouco mais de dois mil anos, o fundador do Cristianismo enfrentou a morte e voltou a viver, inaugurando a gloriosa era de pregação do evangelho (Lucas 24.1-7). Desde então reservamos a Páscoa para relembrar do Senhor Jesus, glorioso e santo, entregando-se na cruz para trazer vida a todos os que nele crerem (Jo 3.16).

No Judaísmo a Páscoa remonta à libertação de Israel da escravidão sob os egípcios (Êx 12.1-51). Exatamente no contexto daquela festa Jesus foi morto e ressuscitou. Daí celebrarmos ao Cristo redivivo. A ressurreição é o registro histórico do ato libertador de Deus em favor dos “humildes de espírito”, bem como a certeza de sua presença protegendo, guiando e cuidando de nós amorosa e eficazmente, como sumo sacerdote (Mt 5.3; Hb 4.15-16).

Ressurreição implica em reconciliação e restauração. Na Páscoa pensamos na vida que nasce da morte, no milagre espiritual da vitória invertida, na qual ganham os que perdem, são felizes os que choram e herdam o reino dos céus os mansos (Mt 5.4-5). Pela ótica da ressurreição, enfrentamos os desencantos e frustrações — as perdas e as dificuldades — com a certeza de que nossa vida é guiada e sustentada pelo Deus que ressuscita aos mortos, aquele que é especialista em mudar, para melhor, pessoas e situações.

A ressurreição de Cristo ocorreu no passado, contém uma promessa para o futuro e também afeta o presente. Não lidamos com uma fábula. Cristo permaneceu entre os primeiros discípulos 40 dias após sua ressurreição. Ele foi visto não apenas pelos apóstolos, mas por mais de 500 testemunhas (At 1.3-4; 1Co 15.1-9). Isso é passado real — fato histórico. Ademais, ele voltará e nós ressuscitaremos também (Jo 5.24-29; 1Ts 4.13-18). Deus garante o nosso futuro. Isso nos anima e reorienta nosso presente. Deus revitaliza aqueles que buscam a Jesus.

Oro para que você e seus familiares desfrutem de graciosa manifestação da graça divina nesta Páscoa. Que comunhão com Cristo, frescor e vida — novos começos no poder da ressurreição para você, caro leitor.

Rev. Misael. Publicado no Boletim 170, de 31/03/2013.

Categorias: Pastorais, Web SiteTags: , ,

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *