“Se alguém aspira […]”

No domingo próximo teremos assembleia extraordinária para eleição de diáconos e aprovação de estatuto. O ofício do diaconato se relaciona ao serviço prestado para o atendimento à boa ordem e funcionamento do culto a Deus e socorro aos necessitados.

O estabelecimento institucional do trabalho diaconal pode ser conferido em Atos 6.1-7. Os primeiros diáconos eram homens dispostos para “servir às mesas”, literalmente como servos humildes (este é o sentido primário da palavra “diácono”). Durante seu ministério terreno, o Senhor Jesus identificou-se com a vida diaconal, declarando que veio “para servir” e admitindo ser “como quem serve”(Mc 10.45; Lc. 22.27). Por meio do apóstolo Paulo, o Espírito Santo nos ensina: “Tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como para o Senhor e não para homens, cientes de que recebereis do senhor a recompensa da herança. A Cristo, O Senhor, é que estais servindo” (Cl 3.23- 24).

Abrindo espaço para reeleição dos diáconos cujos mandatos vencem em abril e admitindo que a igreja precisa de mais diáconos, o Conselho entendeu que, se Deus quiser, serão eleitos até seis diáconos no dia 03 de fevereiro. Quanto ao processo de indicação, assim como ocorreu em 2018, o Conselho está convicto de que é bom aplicar o princípio de disposição pessoal que consta em 1Timóteo 3.1, com atenção especial para a expressão “se alguém aspira”. Dito de outro modo, aguardamos que aqueles que desejarem servir nesta função se apresentem voluntariamente, dispostos a ofertar parte do seu tempo para auxiliar o próximo e honrar a Deus servindo a igreja.

Se você aspira ao diaconato, procure hoje um membro da Comissão de Eleição oferecendo-se ao serviço do Senhor Jesus.

Pr. Gilberto.

Categorias: PastoraisTags: ,