Ainda não

Um dos grandes desafios da vida é ouvir um “não”. Outro desafio enorme é ouvir “ainda não”. A espera pode ser muito difícil, especialmente quando a nossa expectativa sobre algo é elevada.

Pense no caso concreto de uma criança. Ela deseja tomar banho de piscina, mas acabou de almoçar. Se você teve uma mãe como a minha, sabe que depois do almoço terá que esperar pelo menos 30 minutos até poder mergulhar.

Quando criança, você não sabe bem o que são 30 minutos. Então simplesmente pergunta: “já posso?”. Para receber a resposta da tortura: “ainda não”.

O que acontece com as crianças acontece conosco. Não queremos mergulhar na piscina, mas desejamos o retorno dos cultos no espaço físico da igreja. Desejamos o retorno de algumas atividades da vida comum. Desejamos um casamento, um
filho, um emprego… E às vezes Deus diz “ainda não”.

O tempo de espera pode ser muito difícil e, por vezes, o “ainda não” se transformará em um “não”. Mas há uma forma saudável de lidar com isso.

A mãe que diz “ainda não” à criança não quer que ela sofra. Pelo contrário: o seu desejo é que a criança tenha saúde e alegria no tempo certo e do modo certo. Com o “ainda não”, Deus está nos ensinando que a nossa alegria precisa estar primeiramente nele, mais do que em qualquer outra conquista. Ele também está nos ensinando a viver exercitando o contentamento e a dependência dele. E ele está nos lembrando que o seu plano para a nossa vida não conta apenas com uma ou outra alegria passageira, mas com uma eternidade de satisfação.

Pr. Allen.