Blog (Page 29)

Adoração dominical

No culto cristão culminam todos os serviços prestados na semana e são encontrados os significados da existência. Diante do Santíssimo nossos pecados são confessados, recebemos absolvição por meio do sangue de Jesus e somos transformados. A graça divina é dispensada a nós pela Palavra pregada e pelos sacramentos. Temos ainda a oportunidade de consagrar a Deus nossos corações, posses e realizações, e de proclamar e fortalecer a fé por meio de cânticos e orações, tudo isso ungido e aplicado pelo…

A propriedade divina

“Eu sou do meu amado, e o meu amado é meu”. Esta é a afirmação convicta feita pela esposa descrita em Cantares 6.3 e reflete com exatidão a relação do Senhor com a igreja, caracterizada por afeto proveniente do amor incondicional a nós dispensado por Deus e de nossa resposta de amor, ainda que imperfeita, ao nosso Criador e Redentor. Este senso de mútuo pertencimento é reforçado na liturgia e na doutrina. Liturgicamente, reafirma-se a aliança nos cânticos e orações.…

Nova página: “No Que Cremos”

Terminamos de publicar a página sobre nossas principais crenças. Você pode acessá-la na barra de navegação do site, em Conheça-nos > No Que Cremos ou através do link direto, logo abaixo: https://www.ipbriopreto.org.br/conheca-nos/no-que-cremos/

O passado passou

O título acima é uma redundância, uma obviedade. Qualquer pessoa em sã consciência sabe disso e uma afirmação contrária é tida por ilógica e insconsistente. O autor bíblico afirma que, de certa maneira, nada se altera: “Há alguma coisa de que se possa dizer: Vê, isto é novo? Não! Já foi nos séculos que foram antes de nós” (Eclesiastes 1.10). Por outro lado, a história, segundo as Escrituras, é linear, segue uma linha que tem início, meio e fim. Ao…

A nova lógica do “Senhor Cliente”

Calabreza é um bom sabor de pizza, mas não para quem pediu por uma napolitana. Frustração, irritação e, em alguns casos, fúria. Fomos desconsiderados e diminuídos em nossas reivindicações. Como clientes exigentes queremos ser atendidos detalhadamente, senão reclamamos, abandonamos o restaurante e até acionamos os órgãos de defesa ao consumidor. Nosso coração é assim, não gosta de ser contrariado. “O Cliente é o Rei”, dizem. Então, que se aplique essa lógica ao restante da existência. Na vida conjugal “faça-me feliz…

Consumidores ou adoradores?

O universo empresarial é governado pela competitividade. Sobrevivem os que se adequam às orientações do mercado. “Conquiste clientes ou morra”— eis o lema dos empreendedores vitoriosos. Tal orientação tem sido assumida por diversos tipos de organizações. Para as entidades filantrópicas é preciso estimular os mantenedores; órgãos governamentais querem agradar ao contribuinte e partidos políticos investem em fidelizar seus afiliados em um contexto de muita concorrência. A igreja começa a reproduzir este modelo. Hoje somos um mercado. Basta trocar a palavra…
Como estudar a Bíblia

Como estudar a Bíblia

Guardai-vos de exercer a vossa justiça diante dos homens, com o fim de serdes vistos por eles; doutra sorte não tereis galardão junto de vosso Pai celeste. Tu, porém, quando orares, entra no teu quarto e, fechada a porta, orarás a teu Pai, que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará (Mt 6.1, 6). Publicado originalmente em 14/08/2004, no site da Igreja Presbiteriana Central do Gama, DF. Cristianismo é vida com Deus. A fé cristã…

IPB TV

Está no ar a IPBTV, uma iniciativa da Rede Presbiteriana de Comunicação. A partir de agora é possível assistir a 24 horas de programação cristã, diretamente pela Internet. Você pode acessar aos conteúdos da IPBTV clicando no anúncio na barra de navegação.

Quem é capaz?

Um dos aspectos aparentemente contraditórios da obra divina é a relação entre suficiência e insuficiência. O apóstolo Paulo fala sobre isso em 2Co 2.15-16: “Porque nós somos para com Deus o bom perfume de Cristo, tanto nos que são salvos como nos que se perdem. Para com estes, cheiro de morte para morte; para com aqueles, aroma de vida para vida. Quem, porém, é suficiente para estas coisas?”. Primeiramente, precisamos entender que somos totalmente insuficientes. Não existe espaço para orgulho…