Descanso e fé

A graça de Deus é experimentada singularmente no descanso. A máquina é desligada, a produção é deixada de lado e a função torna-se irrelevante. O descanso é para apenas ser — e enquanto somos, tornamo-nos mais densos, estáveis e capacitados a responder à pergunta “quem sou eu?”.

O descanso é um círculo de sanidade — a falta de seu desfrute é danosa à inteireza da alma. Assim como discos rígidos de computador, os seres humanos vão se fragmentando à medida em que trabalham. O resultado é desgaste, lentidão e falha na execução dos processos. É preciso tirar um dia para a reunião organizada das partes, a fim de garantir um novo período de trabalho eficiente. É assim com a inteligência digital, é assim com a inteligência humana. Deus estabeleceu o descanso para esta reorganização, um dia dentre sete para nada fazer, somente adorar (Gênesis 2.1-3).

É difícil, mesmo para a religião, vincular descanso e adoração. Adorar é reconhecer os atributos de Deus e declarar nossa finitude, algo que vai muito além da participação humana na liturgia dominical. Na verdade, o instante de culto é a culminação de um processo que iniciou-se antes: a mente foi liberada, digerimos, vagarosamente, a Escritura, nos deitamos, dormimos, levantamo-nos sem pressa, comemos com tranquilidade, enxergamos os detalhes da criação (e isso inclui as pessoas) e investimos tempo em oração e privacidade saudável (é assim que “ouvimos” a Deus). Qualquer coisa diferente disso, seja atividade aparentemente importante (até mesmo religiosa) ou desejável como entretenimento, é mero trabalho.

Descansar é, literalmente, humilhar-se, é aprender a depender. O descanso é um freio às realizações, uma indicação de que compreendemos que não somos deuses e que o mundo prossegue sem nós. Eis a humilhação: a empresa continua se pararmos um dia na semana; o serviço acumulado do escritório, representado pela pilha de papéis depositada na caixa de pendências, estará sempre lá, semana após semana, mês após mês, ano após ano — e certamente, depois de nossa morte. Nenhum empreendedor quebrará por guardar o dia de descanso, pois, se por um lado somos importantes, por outro, somos irrelevantes. Quem não descansa se ilude imaginando ser a potência que mantém as coisas funcionando. Está sempre pronto a tomar providências, esquecendo-se de que é sustentado pelo Senhor da Providência (Salmo 127.2).

Por isso mesmo, descansar é um ato de fé. A pessoa que cessa as suas atividades para restaurar as forças e louvar ao Criador, demonstra que crê no cuidado divino: “Se eu parar não passarei naquele concurso ou tal problema não terá solução” são pensamentos comuns ao homem natural, mas não deveriam dominar a mente piedosa. O cristão maduro confia que Deus suprirá suas necessidades (Filipenses 4.19). Ele não somente diz que Deus é bom e todo-poderoso, mas ele experimenta dessa bondade em demonstrações cotidianas de misericórdia.

Assim sendo, uma agenda sobrecarregada é tão pecaminosa quanto uma agenda ociosa. Uma semana sem descanso é desobediência do quarto mandamento. Os mais poderosos circuitos precisam de refrigeração. O refrigério da alma chama-se descanso e não devemos estranhar que seja difícil descansar, pois nada que diga respeito à vida espiritual é fácil. Na mentalidade secular, “tempo é dinheiro”, descanso é desperdício. Na economia divina, os seis dias de produtividade intensa devem ceder espaço para o fazer nada que confirma a poderosa inatividade da dependência que provém da fé.

Rev. Misael. Publicado no Boletim 023.

Próximo
Tempo seco

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Ao navegar neste site, você aceita os cookies que usamos para melhorar sua experiência. Mais informações.