Fé perseverante

Fé perseverante

Pastoral

A salvação não decorre de nossas obras, mas da graça divina mediante a fé em Cristo como Senhor e Redentor. Olhamos para a pessoa do Filho de Deus, compreendemos que ele, com sua morte, satisfez a justiça do Altíssimo, pagando o preço exigido por nossos pecados. Sabemos que, por sua ressurreição, ele derrotou a morte. Verificamos nossas entranhas e procedimentos e confessamos: “Pequei, perdoa-me e salva-me” — e somos salvos, acolhidos por Deus nessa confiança em tudo o que ele providenciou graciosamente para nós.

Inicia-se uma nova fase, quando começamos a andar com ele, no discípulado. Aprendemos a crer nele para nossa provisão. Articulamos as primeiras preces e entregamos a ele as nossas causas. Suplicamos confiantes: é a fé em que Deus cumpre suas promessas e atende as orações. Nessa fase somos treinados pelo Espírito Santo na audácia filial e na perseverança. Descobrimos que a fé não é apenas doutrina, mas experiência de suprimento diário, confirmação, pelas bênçãos de Deus, da presença e aprovação desse Deus. Como filhinhos de colo, somos nutridos no peito e protegidos até estarmos prontos para os passos seguintes rumo ao amadurecimento.

Chega o tempo: Temos de crescer. Deus nos manda o pedagogo por excelência, o mestre Sofrimento. Fecha-se o tempo, seca-se o vigor. O céu, antes desimpedido, torna-se de bronze. A sensação tão gostosa do aconchego divino desaparece; Deus oculta-se. Às orações ele não mais diz frequentemente “sim”, mas, na maioria dos casos, “não” e “espere”. Tentamos voltar no tempo de alegria juvenil, angustiamo-nos, recorremos às vigílias e outros procedimentos penitentes: queremos dobrar Deus, precisamos ser atendidos. Assustamo-nos: até mesmo naqueles pontos que entendíamos, sem sombra de dúvida, que eram de acordo com sua vontade, não somos atendidos. Estamos sós — completamente. Não conseguimos alento nem mesmo entre os irmãos, que, aliás, passam a considerar-nos excêntricos, estranhos, e também se afastam. Nesse deserto clamamos aflitos, e nada. Nesse ponto somos convidados a crer quando não há absolutamente nenhuma evidência para a crença; a continuar crendo quando parece que o mal venceu, que as promessas falharam e a dor é mais forte do que o consolo. Ainda opera, lá no fundo, a fé para a salvação e, condoída, esgota-se a fé para a provisão. Deus, bondosa e misteriosamente, nos testa. O Soberano nos quer adultos, almeja forjar em nós a “completa varonilidade” (Efésios 4.13), segundo a imagem de seu Filho, que foi aperfeiçoado pelo sofrimento (Hebreus 2.10).

Isso vai continuar assim até o ponto em que pudermos dizer: “Logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim; e esse viver que, agora, tenho na carne, vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e a si mesmo se entregou por mim”, e ainda, “quanto ao mais, ninguém me moleste; porque eu trago no corpo as marcas de Jesus” (Gálatas 2.20, 6.17).

Fé presente na conversão, fé demonstrada na busca diária da provisão divina, fé inclusive quando a provisão não vem, quando a figueira não floresce, os campos não produzem mantimento e as ovelhas são roubadas do aprisco (Habacuque 3.17). Fé perseverante, robusta, testada, provada pelo fogo. É com esse tipo de confiança que o verdadeiro cristão caminha com Deus.

Publicado no Boletim 013.

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Ao navegar neste site, você aceita os cookies que usamos para melhorar sua experiência. Mais informações.