Planejamento

O Conselho da IPB Rio Preto reuniu-se de 2011 a 2013, refletindo sobre a vida da igreja. Isso foi feito na presença de Deus, baseando-se nas Escrituras e com oração. Em todo o tempo, trabalhamos em torno do ideal de serviço redigido em 2004:

Uma família de discípulos de Jesus, fundamentada na Bíblia, comprometida com a Reforma, que proclama as boas-novas da salvação, atua na restauração de pessoas e coopera na edificação do Reino de Deus.

I. A igreja como família e discipulado

Como família de Deus, assumimos que nosso foco é prioritariamente relacional e não empresarial. Sendo assim:

  • Na IPB Rio Preto cada pessoa é importante, ou seja, pessoas estão acima de tarefas.
  • Toda interação é pessoal (não lidamos com pessoas como peças de uma máquina ou figuras impessoais em uma instituição; interagimos com amor e para edificação).
  • A estrutura existe para as pessoas.
  • Os processos são tão (ou mais) importantes do que os resultados (o importante não é tanto alcançar alvos, mas caminhar de forma santa enquanto trabalhamos uns com os outros).
  • Competências são consideradas dentro da moldura bíblica (Rm 12.7; Fp 2.1-5); portanto, toda avaliação é graciosa.
  • Como família, respeitamos a diversidade das gerações.

Práticas

Dito de outro modo, viver o amor (Rm 12.10; 1Jo 4.12). Ajudar uns dos outros (At 4.34; Tg 2.14-17). Sentir ternura e carinho uns pelos outros (1Pe 1.21; 5.14). Desejar estar juntos (Sl 16.3; At 2.44; Fp 1.27).

  • Cultuamos juntos (não realizamos cultos distintos para jovens e adultos).
  • Aprendemos uns com os outros.
  • Trabalhamos e nos divertimos conjuntamente.
  • Interagimos além dos cultos dominicais.

Seis alvos pertinentes à igreja como família

  1. O Conselho deve visitar as famílias da igreja. Assumido como atividade contínua pelos presbíteros.
  2. A igreja participa de um acampamento anual. Realizamos acampamentos para toda a igreja desde 2013.
  3. Os diáconos são envolvidos na assistência aos necessitados. Assumido como atividade contínua pelos diáconos.
  4. Conscientizar sobre igreja como família. Sendo cumprido em sermões, estudos, pastorais e eventos.
  5. Reorganizar grupos familiares. Reorganizados como Grupos da Igreja Simples.
  6. Ligar para os aniversariantes. Os aniversariantes são lembrados nas pastorais dominicais.

Quatro alvos pertinentes ao discipulado

  1. Cada presbítero um discipulador. Assumido como atividade contínua pelos diáconos.
  2. Novo currículo da escola dominical e capacitação de professores. Temos realizado cursos de formação. Equipes motivadas e enviadas para os congressos de educação da IPB. O currículo está sendo avaliado a cada trimestre pelas coordenações dos departamentos adulto e infantil da ED.
  3. Realizar eventos de edificação. Investimos do Encontro da Fé Reformada de 2022 até 2016. A partir de então, o Conselho entendeu que tais atividades não seriam necessários como agenda fixa da igreja.
  4. Criar curso periódico. Criamos a estrutura do CTP (antes, Curso Teológico Presbiteriano, depois, Centro de Treinamento Presbiteriano), que funcionou até 2018. Atualmente, além dos cursos de férias da ED, criamos cursos dentro da estrutura do site da própria igreja.

II. Reforma, evangelização e comunicação

Nosso compromisso com a Reforma Protestante do séc. 16 implica:

  • Compreender mais e melhor a Reforma Magisterial do séc. 16, distinguindo-a da Reforma Radical.
  • Compreender e acolher o Calvinismo.
  • Aplicar a proposição da Reforma, sola Scriptura, à vida e ministério da IPB Rio Preto.
  • Divulgar a doutrina bíblica fiel e sadia.

Nosso compromisso com a evangelização implica:

  • Buscar avivamento bíblico e pregar expositivamente.
  • Treinar para a apologética e evangelização.
  • Desenvolver uma cultura evangelística.
  • Dar atenção aos visitantes.
  • Nos conectar à cultura, apoiando iniciativas criativas de evangelismo, participando de eventos da cidade, fazendo bom uso das mídias (aperfeiçoar sites e estratégias nas redes sociais).
  • Motivar nossas congregações para organização.
  • Plantar novas igrejas.

Sete alvos relativos à Reforma, evangelização e comunicação

  1. Criar curso de apologética. Ministramos para um turma no CTP.
  2. Treinar para evangelismo. Realizamos treinamentos em evangelismo. Formamos turmas em evangelização e discipulado e visitação evangelística. Saiba mais sobre nosso foco atual de evangelização.
  3. Assumir projeto de evangelização. Assumimos um projeto de evangelização em Cedral, mantido até 2018. Saiba mais sobre nosso foco atual de evangelização.
  4. Motivar e capacitar recepcionistas. O ministério de recepção por organizado. Criamos material para ser distribuído aos visitantes da igreja.
  5. Criar e gerenciar novos sites da igreja. Chegamos a ter quatro sites da igreja (de conferências missionárias, dos grupos pequenos e do CTP). Atualmente, tudo converge para um único site.
  6. Avaliar congregações. As congregações foram avaliadas.
  7. Organizar congregações em igrejas. Os trabalhos da congregações foram unificados e, a partir de então, organizamos a Igreja Presbiteriana da Aliança.

III. Sobre restauração de pessoas

Demos atenção à penúltima afirmação de nosso ideal de serviço, que afirma que desejamos ser uma igreja que “atua na restauração de pessoas”. Ao fim daquela reunião definimos o conceito de restauração, sua abrangência e passos para sua aplicação.

Entendemos que restauração de pessoas é toda iniciativa de investimento de tempo, energia e recursos na libertação e santificação de indivíduos ou famílias que vêm até nós ou já participam de nossa igreja.

Isso significa que restauração ocorre nos âmbitos da evangelização, convívio familiar e relação do crente com a igreja e desta com os seus frequentadores. Envolve ajudar as pessoas nas questões relativas a seu relacionamento com Deus, comunhão com seu próximo, disfunções emocionais e vícios.

Precisam de restauração os não cristãos, em termos de restabelecimento de sua comunhão com Deus por meio de Cristo (regeneração e conversão), e os crentes, em termos de desfrute da pessoa e obra do Senhor Jesus Cristo (santificação — 2Co 5.17; 1Pe 1.23; 1Jo 1.9-10; Os 6.3).

Sendo assim, restauração é parte do discipulado, ligada à exortação e disciplina, trata do abandono de padrões pecaminosos (mortificação do pecado) e absorção do padrão de Cristo (Rm 8.1-17, 28-30; 2Co 3.17-18). Isso deve começar em nós (1Tm 4.16). Deus é seu principal agente, e nós somos objetos de sua ação, bem como seus proclamadores e cooperadores.

Os meios primordiais da restauração são a Palavra de Deus e a oração, ministradas no contexto da comunhão cristã. Daí ela ocorrer nos cultos públicos, nas reuniões de oração, nos Grupos da Igreja Simples (GIS), nas iniciativas de educação cristã, nas visitas aos lares e trabalhos de capelania em hospitais, no discipulado pessoal, por meio dos projetos realizados e serviços prestados na Associação Evangélica Lar de Betânia (ASELB) e Missão Vida e, especialmente, na prática do aconselhamento bíblico.

Para aperfeiçoar e expandir nossos serviços ligados à restauração de pessoas, são necessárias quatro coisas:

  1. O cultivo de uma cultura de restauração e mutualidade, para que sejamos uma igreja de oportunidade, atenta às necessidades de nossos membros, frequentadores e vizinhança.
  2. Mais grupos pequenos (GIS), onde há espaço para compartilhamento de necessidades e encaminhamento de ajuda para restauração efetiva.
  3. A dedicação voluntária de dons e talentos para a restauração, especialmente pessoas com formação pertinente para aconselhar e ajudar pessoas com problemas.
  4. Aprimoramento [constante] do aconselhamento pastoral.

Quatro alvos relativos à restauração de pessoas

  1. Dinamizar capelania. Até o momento, não estruturamos os serviços de capelania. Atualmente, os pastores se incumbem de visitas em hospitais. Tanto os pastores quanto os departamentos visitam instituições beneficentes.
  2. Doutrinar a igreja quanto aos dons e ministérios. Até o momento foram realizadas duas edições do curso O Cristão Frutífero, sobre ministérios e dons (em 2013 e em 2018). O Pr. Misael está atualizando a apostila deste curso.
  3. Estruturar serviços de cura. Nenhum ministério específico foi implementado. Orando e aguardando voluntários com os dons necessários.
  4. Aprimorar aconselhamento. Os pastores realizam leituras e buscam capacitação para o aconselhamento.

Em fevereiro de 2013 foi apresentada à igreja a nova tônica de sua caminhada ministerial: Prosseguir como uma igreja viva e simples. Os detalhamentos desta proposição para cada departamento podem ser conferidos na página da igreja viva.

IV. Perguntas importantes para 2013-2023

Cada departamento deve trabalhar em 2013-2023 buscando responder — e organizando-se a partir das respostas obtidas — às seguintes perguntas:

Questões relativas à igreja como família

  • O que podemos e devemos fazer para aprofundar nossa comunhão, de modo a interagirmos uns com os outros, como uma família?
  • Como podemos conviver — passar mais tempo como família — com as pessoas de outros departamentos da igreja?
  • Como podemos contribuir com os outros departamentos da igreja?
  • O que é necessário para visitar e integrar à igreja cada sócio, integrante e frequentador de nossa sociedade interna ou departamento?

Questões relativas ao discipulado da igreja

  • O que podemos e devemos fazer para obedecer a ordem de Jesus de fazer discípulos, com todas as implicações de integrá-los à igreja e ajudá-los a aprender e praticar os ensinos do Redentor?
  • Quais são os tópicos bíblicos e doutrinários que precisam ser conhecidos e trabalhados em nossa sociedade ou departamento, em 2013-2023?
  • O que é necessário para fazer cada integrante, sócio e frequentador um discípulo fervoroso do Senhor Jesus Cristo?
  • O que pretendemos fazer quanto à oração, em 2013-2023?

Questões relativas ao perfil reformado da igreja

  • O que podemos e devemos fazer para consolidar nossa identidade cristã reformada?
  • O que podemos e devemos fazer para compartilhar esta identidade no contexto de nossos concílios e região?

Questões relativas à evangelização da igreja

  • O que é necessário para fazer funcionar as secretarias de evangelização de cada sociedade interna?
  • O que é necessário para motivar cada crente para a prática da evangelização?
  • Que iniciativas de evangelização interna [e externa] devemos realizar em 2013-2023?
  • Como podemos contribuir com o início de novos trabalhos e frentes de evangelização em 2013-2023?

Três ações desejáveis para 2013-2023

  1. Menos ativismo e mais aprofundamento na comunhão com Deus e uns com os outros.
  2. Enxugar a agenda; focalizando em simplicidade, sem perder o contato periódico vital para a manutenção da comunhão.
  3. Realizar atividades conjuntas — dois ou mais departamentos. Isso possibilita que as pessoas de diferentes departamentos aprendam umas com as outras.

Texto atualizado em 15 de janeiro de 2022.

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Ao navegar neste site, você aceita os cookies que usamos para melhorar sua experiência. Mais informações.