Rumo à maturidade

Rumo à maturidade

A pastoral do último domingo nos ensinou que lidamos com diversos incômodos na humanidade em geral e nas nossas famílias, que exigem um retorno à fé bíblica. Existe um incômodo que atinge não apenas a sociedade e nossas famílias, mas tem entrado sorrateiramente em muitas igrejas. É o incentivo à imaturidade.

Os sociólogos têm chamado isso de adolescência tardia, adultescência e adultos emergentes. Um deles, Christian Smith, diz que este desvio de comportamento “remodelou o significado do ser, da juventude, dos relacionamentos e dos comprometimentos da vida, assim como uma variedade de comportamentos e tendências”.

Precisamos refletir sobre as danosas consequências deste comportamento no seio das nossas famílias e igrejas. Muitos jovens de classe média e alta são sustentados pelos pais até os 30/35 anos. Mães que gostam de ser confundidas com a estética imatura de suas filhas adolescentes.

Esta adultescência tem gerado pais que prolongam a imaturidade da sua juventude e, por conseguinte, a dos seus filhos. Instabilidade. Foco em si mesmo. Constante transição. Confusão. Conflitos. Projetos insignificantes. Ou seja, imaturidade! Muitas famílias não querem pagar o alto e necessário preço da maturidade.

Sendo assim, este fenômeno tem entrado em muitas igrejas. Como disse o Rev. Adão Carlos na semana passada, “a maioria dos problemas de uma igreja não são da igreja em si, mas das famílias desta igreja”.

A “adultescência” é vista na igreja quando não reagimos àqueles que não suportam um ensino bíblico profundo, uma pregação pura da Bíblia, forçando-nos à imaturidade eclesiástica. Provérbios 1.7b diz que desprezar a sabedoria e o ensino são para os loucos, ou, numa melhor tradução, insensatos, que não medem as consequências dos seus atos.

A imaturidade é prolongada quando os líderes da igreja não conseguem resolver os problemas da comunidade com clareza, honestidade e franqueza; quando a igreja não aceita a dor da maturidade, que, às vezes, gera perdas, mas é essencial.

Quem nos diz isso não são os sociólogos ou antropólogos, mas a Palavra de Deus. O Evangelho nos leva rumo à maturidade, como nos diz Paulo em 1Co 13.11 e 14.20: Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, pensava como menino; quando cheguei a ser homem, desisti das coisas próprias de menino […] Irmãos, não sejais meninos no juízo; na malícia, sim, sede crianças; quanto ao juízo, sede homens amadurecidos.

Cristo nos ensina a imprimir na sociedade os princípios do Reino de Deus por meio de uma contracultura cristã. Segundo John Piper, a persistência para a maturidade “trará mais estabilidade, clareza de identidade, sabedoria profunda, incentivará o jovem adulto a estar pronto para a responsabilidade ao invés de somente fazer exigências, sem nunca perder a alegria em Deus, e permanecendo firme até a recompensa celeste.” Que Deus nos leve rumo à maturidade, para sua glória e bem da sua igreja.

Rev. Renato. Publicado no Boletim 127, de 03/06/2012.

Anterior
O incômodo

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Ao navegar neste site, você aceita os cookies que usamos para melhorar sua experiência. Mais informações.