21. O tropeço da justiça própria [Rm 9.30—10.5]

0 Comentários

Deixe uma resposta